BRICS: aspectos econômicos e políticos em um mundo de oportunidades

  • Carga Horária do Curso: 20h/aula
  • Local: Centro Universitário FECAP Liberdade (Av. da Liberdade, 532 – Liberdade, São Paulo).
  • Sala: –
  • Datas: 14, 15, 16, 17 e 18 de janeiro
  • Horário: das 19h00 às 22h40.
  • Professor: Guilherme Casarões
  • Valor: R$480,00.
  • Alunos e ex alunos FECAP: R$320,00.

bt_insc

 

 

OBJETIVO (S):

Esse curso busca atualizar o debate sobre o papel dos BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) na ordem internacional contemporânea. Desde 2001, o agrupamento passou por várias fases: no início, BRIC era um mero acrônimo, criado pelo economista-chefe do banco Goldman Sachs, Jim O’Neill, e utilizado como referência para investimentos em mercados emergentes com potencial de crescimento. Em 2006, os chanceleres de Brasil, Rússia, Índia e China decidiram formalizar um fórum de articulação política, com o objetivo comum de consolidar a multipolaridade do sistema internacional. O BRIC ganha força no contexto da crise de 2008, momento no qual se decide transformá-lo em um grupo de alto nível, com reuniões de chefes de Estado e de governo. Finalmente, em 2011, com a incorporação da África do Sul, o fórum ganha sua configuração atual – BRICS.

O advento desta década colocou novos desafios aos BRICS. Em primeiro lugar, a desaceleração econômica de alguns de seus membros, somada a crises políticas, criou desequilíbrios internos e rompeu com o movimento de ascensão das chamadas “potências emergentes”. Como consequência, o potencial de “multipolaridade benigna” do sistema internacional, almejada originalmente pelo grupo, foi sendo minado pela eclosão de tensões geopolíticas regionais e pela consolidação da China como polo alternativo de poder aos Estados Unidos. Isso exigiu, em segundo lugar, uma mudança de função dos BRICS: de um fórum reformista, cujo principal objetivo era revisar a arquitetura financeira global (Banco Mundial e FMI), o grupo passou a atuar como linha auxiliar do projeto chinês de estruturação de uma ordem global centrada no Sul, e notadamente na Ásia, o que se manifesta nas iniciativas do Acordo Contingente de Reservas e, sobretudo, do Novo Banco de Desenvolvimento (NBD).

O curso, portanto, orienta-se pelas seguintes perguntas: qual o papel dos BRICS numa ordem global em transição? Como as políticas externas dos membros do grupo incorporam o BRICS? Como se dá a cooperação intra-BRICS, e quais seus limites e desafios? Finalmente, qual o futuro do bloco diante das transformações políticas e econômicas observadas nos últimos anos?

 

EMENTA:

Aula 1 – Potências emergentes e o século XXI

Aula 2 – O “sonho chinês” de Xi Jinping e o papel dos BRICS

Aula 3 – Rússia e Índia: potências regionais, aspirações globais?

Aula 4 – Brasil e África do Sul: entre o simbolismo e a irrelevância

Aula 5 – O futuro da ordem global e os BRICS

 

CURRÍCULO RESUMIDO DO PROFESSOR:

Guilherme Casarões é professor da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP) nas áreas de Ciência Política e Relações Internacionais. Ele é doutor e mestre em Ciência Política pela Universidade de São Paulo e mestre em Relações Internacionais pela Universidade Estadual de Campinas (Programa San Tiago Dantas). Suas pesquisas se concentram nas áreas de política externa brasileira e governança global. Entre suas publicações mais recentes estão “The Evolution of Brazilian Foreign Policy Studies: four perspectives” (Routledge Handbook of Brazilian Politics, 2018) e “Geo-economic Competition in Latin America: Brazil, Venezuela, and Regional Integration in the 21st century” (Latin American Report, 2017). Ele foi visiting fellow na Brandeis University e na Tel Aviv University.

 

 BIBLIOGRAFIA:

Casarões, Guilherme. “Brazilian elections and the Future of the BRICS”. Italian Institute for International Political Studies, 05 de outubro de 2018.

Ferdinand, Peter. “Rising powers at the UN: an analysis of the voting behaviour of brics in the General Assembly”. Third World Quarterly, vol. 35, no. 3, 2014.

Kliman, Daniel e Fontaine, Roger. “International Order and the Global Swing States”. The Washington Quarterly, Winter 2013.

Narlikar, Amrita et al (orgs.). Os BRICS e a ordem global. Rio de Janeiro: FGV, 2012.

Pimentel, José Vicente de Sá (org.). O Brasil, os BRICS e a agenda internacional. Brasília: FUNAG, 2013.

Stuenkel, Oliver. O Mundo Pós-Ocidental. Rio de Janeiro: Zahar, 2018.

Stuenkel, Oliver. BRICS e o futuro da Ordem Global. São Paulo: Paz e Terra, 2015.

 

AVALIAÇÃO PARA CERTIFICAÇÃO:

Não haverá avaliação de conteúdo. É necessário estar presente, no mínimo, em 75% das aulas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *